sexta-feira, 26 de junho de 2009

Arte Conceitual Made in Platão

Olá, pessoal!
O que nos trago, hoje, é um trecho do Livro "A República", de Platão. Trata-se de uma "fábula", uma "mentirinha" que Sócrates cria para, pelo bem da cidade imaginária (A República, criada imaginariamente com o fito de definir a justiça e provar ser ela a melhor maneira de se viver), alimentar o espírito dos guardiães da tal República. O propósito que me leva a publicar este trecho não é que criem algo à imagem e semelhança do que fez nosso amigo Platão (sacaram a intimidade?).
Antes disso, este texto poderá trazer uma nova ótica aos que gostam de escrever sobre fantasias, como os admiradores de Nárnia, O Senhor dos Anéis, ou demais terras e criaturas que povoam o imaginário, assim como os RPGs da vida. Vamos beber, então, nas antigas e sempre boas fontes da mitologia grega:

"(...) na realidade, eram então formados, todos, no seio da terra, eles, as suas armas, suas ferramentas e tudo que lhes pertence; (...) a terra, sua mãe, lhes deu à luz; (...) Na cidade sois todos irmãos, (...) mas o deus que vos formou misturou ouro na composição daqueles de entre vós que são capazes de comandar: por isso são os mais preciosos. Misturou prata na composição dos auxiliares; ferro e bronze na dos lavradores e na dos outros artesãos. Em geral, procriareis filhos semelhantes a vós; mas, visto que sois todos parentes, pode suceder que do outro nasça um rebento de prata, da prata um rebento de ouro e que as mesmas transmutações se produzam entre os outros metais. Por isso, acima de tudo e principalmente, o deus ordena aos magistrados que zelem atentamente pelas crianças, que atentem no metal que se encontra misturado à sua alma e, se nos seus próprios filhos houver mistura de bronze ou ferro, que sejam impiedosos para com eles e lhes reservem o tipo de honra devida à sua natureza, relegando-os para a classe dos artesãos e lavradores; mas, se destes últimos nascer uma criança cuja alma contenha ouro ou prata, o deus quer que seja honrada, elevando-a à categoria de guarda ou à de auxiliar, porque um oráculo afirma que a cidade perecerá quando for guardada pelo ferro ou o bronze".


À minha mente, pelo menos, vieram alguns enredos bem diferentes, inclusive em "universos" diferentes entre si. Não sei qual(is) dos enredos eu vou desenvolver, mas vou trabalhar nestas idéias. Por achar um bom fertilizante mental, resolvi não perder a oportunidade e trazer para todos. Made in Platão, para vocês. Bons textos!